E d u c A ç ã o

18/06/2009

Os professores e o ensino

Filed under: Educação,Professores — jspimenta @ 23:43

Opinião – publicado no jornal Correio Popular de Campinas, 16/06, pág.03.

EDISON LINS
edison.c.lins@gmail.com 

Nas sucessivas avaliações sobre a qualidade da nossa educação, em especial
a educação básica pública, o papel do professor, invariavelmente, é
colocado em evidência. E não faltam manifestações no sentido de tentar
culpar a este importante profissional pelos resultados negativos. Isso,
além de ser injusto em si, é uma assertiva que provoca generalizações,
reforçando a injustiça e, pior de tudo, desvia o olhar de questões que
fazem parte do complexo e abrangente universo da educação e determinantes do seu quadro atual, retirando ou diminuindo responsabilidades decisivas, ou seja, da falta de maior investimento, as políticas educacionais traçadas e as medidas complementares que as regulamentam, o papel dos demais componentes da rede educacional, inclusive supervisores, diretores, coordenadores, a falta de estrutura e ainda a ausência da família no acompanhamento da vida escolar de seus filhos ou dependentes, muito raramente são abordadas à altura de suas responsabilidades nos resultados.

É preciso objetivamente dizer que os professores, em sua absoluta maioria,
estão compromissados com a qualidade do ensino público. Isso se dá no
cotidiano de uma ação profissional que precisa sempre estar atualizada,
interativa e motivadora para que seja paradigma aos alunos. É indubitável
gesto de compromisso com a qualidade da educação, o fato de milhares de
professores paulistas, certamente há exemplos em outros estados, que por
muitos sábados abriram mão de momentos de descanso e convívio familiar
para participar dos cursos de formação continuada, oferecidos pelo chamado programa Teia do Saber, disponibilizado pelo governo estadual. Outras centenas de professores, da rede citada, já obtiveram ou buscam o título acadêmico de mestrado ou doutorado ou outras especializações sem que todo este esforço seja plenamente reconhecido, até mesmo pelo incentivo de discutir ou aplicar a pesquisa realizada no cotidiano da rede, ou numa carreira truncada e que requer urgente revisão.

Revisão que aponte para mecanismos de efetiva possibilidade de progressão
funcional sem que isso signifique a morosidade de uma tramitação
extremamente burocratizada. O apontamento das causas, sem limitar-se
preponderantemente a um único ponto sendo este ainda bastante discutível,
que permita colocar em discussão boa parte dos fatos que determinam o
preocupante quadro atual da nossa educação básica pública, além de não
considerar que a família também tem imensa responsabilidade nos resultados educacionais. Haja vista a baixa presença dos pais em reuniões convocadas pelas escolas públicas, um componente que interfere diretamente na melhoria dos espaços educacionais.

Se o professor tem papel decisivo no processo educacional, é preciso
reconhecer na prática tal importância, a começar pela interrupção de
abordagens simplistas que atribuem a este profissional a quase exclusiva
responsabilidade pelas mazelas educacionais do sistema público.

Um outro ponto a ser discutido: está somente na educação pública o
universo de problemas da escola básica brasileira?

Valorizar o professor implica em reconhecer seu trabalho em vários
aspectos. Pesquisas apontam que mais de 80% dos professores se sentem
desvalorizados pela sociedade. O cenário não muda nem dentro do contexto
de sua atuação, pois 75% dos professores sentem que a administração da
escola ou os gestores externos não reconhecem a importância da categoria.
A constatação é da pesquisa A Qualidade da Educação sob o Olhar do
Professor, da Fundação SM e da Organização dos Estados Ibero-americanos,
que alcançou, em 2007, mais de 8 mil professores em 19 estados
participaram do estudo.

Tal sentimento de desvalorização, a falta de perspectiva de bons salários
ou de uma carreira que efetivamente o desenvolva profissionalmente,
impacta as novas gerações uma vez que se constata, em escala crescente,
que os jovens não procuram o magistério como alternativa profissional, o
que traz projeções sombrias para o futuro educacional. Reiteramos que a
absoluta maioria dos professores da escola básica está compromissada com
uma educação de qualidade e formadora de cidadãos. E da importância do seu papel no processo educacional. Que isto seja reconhecido pelos governos e pela sociedade.

Edison Cardoso Lins é mestre em Educação, funcionário da Unicamp e
professor da rede pública estadual.

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: