E d u c A ç ã o

01/05/2009

O papel real da educação nas escolas

Filed under: Ética,Cidadania,Educação — jspimenta @ 14:56

A educação escolar é sempre apontada como o mais completo lenitivo contra a falta de cultura política, de civilidade e comportamentos inadequados de jovens. A formação acadêmica pretende mais do que simplesmente dotar crianças e jovens do estofo cultural, mas de noções de convivência social, respeito, disciplina e interesse pelo conhecimento. Ao longo dos anos, as escolas aprimoraram seus projetos pedagógicos, tornando-se também a porta de entrada para uma existência sadia, de perfeita interação entre os docentes e alunos, em constante processo de aperfeiçoamento pessoal e coletivo.

Todos os indivíduos guardam de sua vivência escolar as melhores lembranças, entre o aprendizado das disciplinas básicas, as amizades que atravessam os anos, o verdadeiro sentido de coleguismo e as experiências determinantes que desaguarão no adulto e profissional competentes e inseridos positivamente na sociedade. É nas escolas que se complementa a atenção familiar para a formação do cidadão, integrado pelos valores morais e pelos ditames cobrados para sua completa inserção na sociedade.

O padrão ideal, no entanto, não pode ser estendido à realidade vivida por muitos estudantes, pressionados pela visão prática de atingir metas de sucesso profissional ou o enfrentamento da dura verdade de escolas depredadas, professores desmotivados, falta de segurança, violência intramuros, currículos defasados, carga horária não cumprida totalmente, falta de formação mais extensiva. A esses problemas, soma-se a preocupação com a baixa frequência de estudantes nas escolas.

Segundo estudo divulgado nesta semana pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), os estudantes com idades entre 4 e 17 anos ficam, em média, apenas 3,8 horas por dia na escola, menos que o preconizado pela Lei das Diretrizes e Bases da Educação. A ausência maior é na faixa de 15 a 17 anos, correspondente ao Ensino Médio, onde o número de horas diárias que o estudante passa na escola é de 3,5. Vários fatores contribuem para esta realidade, como o desinteresse dos estudantes com o estudo, o descompromisso com a escola e o currículo, ausência de professores e absoluta falta de alternativas complementares à educação.

Alguns esforços tentam corrigir esta deficiência. A extensão da jornada escolar tem sido buscada através de vários programas, até mesmo em Campinas, esbarrando sempre na falta de estrutura adequada para atender à clientela em período maior. Da mesma forma, o governo federal aposta no programa Mais Educação, onde são repassados recursos para investimentos em instrumentos musicais e elementos para quadras poliesportivas.

Na realidade, faltam professores, monitores, bibliotecários, material pedagógico e mesmo um planejamento adequado que implique em ganho aos discentes e não apenas a tentativa de ocupá-los por mais algumas horas. É preciso que o investimento seja constante e ao passo da disponibilidade de professores melhor preparados e sem sobrecarga horária. É necessária uma escola padrão que viabilize um relacionamento franco e produtivo com os estudantes, além de uma verdadeira experiência de vida.

Editorial – Jornal Correio Popular – Campinas, 30/04 página 02.

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: